quinta-feira, 27 de agosto de 2009

Pelas ruas da cidade.


Penso nos pobres
Nos palhaços
Nos mendigos e seus fracassos
No pó, na pedra
Nadando no mar de aço
Nas colunas e vigas
No estardalhaço
São lagrimas molhando
O colarinho da blusa
É a miséria estampada
Nos olhos de medusa
Mãos sujas limpando o canto da boca
Nas unhas o resto do ultimo prato
Sonham em ser ricos como a classe media
Mas será que a classe media
teria condição
Se não recebesse
o vale-refeição?

15 comentários:

  1. Oi Lilian, obrigado pela visita ao meu blog.
    Supreendente o teu post !
    Nos faz pensar na desigaldade social de uma forma diferente, apesar de ser tão lúgubre ...

    Abraços e bons caminhos.

    ResponderExcluir
  2. AH que triste, as vezes parece que estamos todos na mesma, mas as vezes vemos como somos privilegiados diante de tanta miséria. Lamentável.

    ResponderExcluir
  3. Simplesmente incrível!!
    No final, ao falar da classe média com o VR foi melhor ainda, adorei!
    Não é fácil escrever, mas muitos nem querem enxergar a nossa realidade nas ruas.

    ResponderExcluir
  4. poxa lindo poema, adorei! lindo apesar de não existir beleza, na miséria!

    http://cemiteriodaspalavrasperdidas.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  5. A vida em si é uma lamentação, uns lamentam porque não tem o que comer, outros porque o que tem não está de seu agrado, e outros porque acham que comer engorda! Só que todos se esquecem que lamentam de barriga cheia, pois os maiores necessitados nunca lamentam, sempre agradecem por ainda estarem vivos, mesmo quando não há em sua mesa algo para comer!

    adorei seu texto, muito reflexivo!
    Você escreve com alma de poeta!

    meu blog:

    http://pequenab.blogspot.com/

    beijocas :D

    ResponderExcluir
  6. É sim, transformar a foto em desenho.
    gostou?

    ResponderExcluir
  7. Muito bom o poema! Lindo, Amei...

    Beijusssss

    http://publicidadesportiva.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  8. Lilian, estou passando por aqui primeiramente para agradecer de coração por seres a primeira seguidora do meu blog! É o meu primeiro e único espaço virtual e fiquei extremamente feliz com a tua visita! Espero que venhas mais vezes e por aqui pretendo passar muitas e muitas outras vezes também.
    Teu blog é simplesmente excelente e o poema acima retrata a infeliz vida de milhares de brasileiros... algo a se pensar... Muito bons os textos! Parabéns!
    Abraço!

    ResponderExcluir
  9. Ainda receoso quanto ao que pode estar por trás da ideologia dos selos, indico o seu blog com um também:

    http://literaturanociva.blogspot.com/2009/08/selo_28.html

    =)

    ResponderExcluir
  10. Lilian,muito mas muito legal teu blog.Te achei comentando em um outro blog de contos e vi que gostas de histórias,contos.Olha só acho muito legal além do teu talento a preocupação social do teu texto.Há cerca de um mês produzi um texto no meu blog http://oficinamissoes.blogspot.com/ um que a intenção era chocar quem lesse.Eram os últimos minutos de um pedinte alcoolatra que morava aqui no meu bairro e que era querido e temido pelas crianças,figura folclórica não aguentou a madrugada mais fria do ano aqui em Santo Angelo-RS,região das Missões e de apelido Perereca.Na minha comu do Orkut BIBLIOTECA DE SANTO ANGELO eu e alguns confrades muito debatemos a respeito da real capacidade que temos de ajudar.Dá uma espiada lá.Abrç e sucesso!

    ResponderExcluir
  11. todo sábado tem um link direto do
    MARMANJJUS THE BLOG para uma das postagens de blogs parceiros.

    confira aqui
    MARMANJJUS THE BLOG
    seu link não apareceu? entre no MARMANJJUS THE BLOG tem um banner que te leva direto ao orkut, deixe lá seu link.
    sábado que vem ele poderá estar disponível.

    obrigado pela parceria e não se esqueça de mandar o link da sua melhor postagem para aparecer no marmanjjus no sábado que vem,
    obrigado e até a próxima visita.

    ResponderExcluir
  12. Você faz um poema totalmente visual em seu andamento, pondo imagens em nossas cabeças, as piores(em se tratando do tema que trata). Após toda a ambientação você termina seu poema de um jeito fabuloso - "vale-refeição" como metáfora da necessidade da miséria para sustentar o luxo de uma classe nobre ou um pouco mais abastecida, o que fecha, também, com um paradoxo fulminante! Perfeito!

    ResponderExcluir
  13. eu ameei de maiis ess poemaa, tenho q comentar de novo :)

    passe no meu blog depois, atualizei :)

    http://pequenab.blogspot.com/

    beijocas :D

    ResponderExcluir
  14. Nossa que poesia mais linda
    "O colarinho da blusa
    É a miséria estampada
    Nos olhos de medusa"

    gostei desse trecho em particular ele me chamou a atenção pela rima que contem nele continue escrevendo assim.

    ResponderExcluir

Hora verdade:- Conte pra mim o que você sentiu...